A exclusão do glúten é indicada para quem?

Excluir proteína da dieta é sinônimo de perda de peso para todo mundo?

Rodeado de dúvidas e mitos, o consumo ou não do glúten está sempre em discussão. Para ajudar a entender melhor o que é alergia, sensibilidade, doença celíaca ou se a exclusão do item na dieta é sinônimo de perda de peso, a nutricionista Ana Poletto, que utiliza a Genômica Nutricional como uma ferramenta para aplicação da Nutrição Individualizada, desfaz os principais nós que envolvem o assunto. Ela explica também como os exames genéticos nos trazem uma informação de risco para desenvolver doença celíaca.
“Empiricamente falando, o glúten é uma proteína encontrada em cereais como trigo, centeio, cevada, malte e aveia. É importante saber que o glúten não é ruim para todo mundo. Não há comprovação científica para isto. O que acontece é que a capacidade que o nosso trato gastrointestinal tem em digerir esta proteína é limitada e, esta limitação, em indivíduos geneticamente predispostos, pode ser prejudicial”, afirma Ana.
A profissional explica que por meio de exames genéticos é possível identificar a predisposição que um indivíduo tem em desenvolver doença celíaca, uma doença autoimune e inflamatória. “O risco está associado à presença dos genótipos HLADQ2 ou DQ8. Quando se descobre o risco, é possível, por meio da nutrição individualizada, estabelecer uma dieta preventiva”, destaca a nutricionista. O diagnóstico da doença celíaca, no entanto, só pode ser confirmado com associação de exames bioquímicos e biópsia intestinal, com a participação de uma equipe multidisciplinar.
Há também indivíduos que podem apresentar alergias imediatas à substância ou ainda sensibilidade não celíaca. Pacientes com alergias podem apresentar urticária e alterações respiratórias ao consumir os alimentos com esta proteína. Já pacientes com sensibilidade não celíaca apresentam sensações como distensão abdominal e gases. Nesta situação pode estar presente a síndrome do intestino irritável. “No entanto, antes de qualquer conclusão, é indispensável o acompanhamento por parte de um profissional qualificado, já que o critério para a análise, na sensibilidade ao glúten não celíca, está na exclusão temporária do alimento e observação da evolução do paciente”, ressalta Ana.

Mitos

Em se tratando dos mitos, emagrecer excluindo o glúten da dieta é o maior deles. Segundo a nutricionista, não há dados científicos em humanos que comprovem tal benefício. “Pode ser que você emagreça simplesmente pelo fato de restringir um pouco mais a sua alimentação, até por que snacks sem glúten são difíceis de serem encontrados. Fique atento à “carga de açúcar” que alguns produtos sem glúten possuem, pois costuma ser alta e, se não houver controle no consumo quantitativo desse alimento, pode ser que você até aumente de peso. A exclusão do glúten é necessária em alguns casos específicos, como alguns dos acima descritos, e não deve ser encarada como “modinha”. Entretanto, a inserção em uma dieta equilibrada de alimentos sem glúten, junto ao consumo de outros alimentos saudáveis, é benéfica”, conclui.

Deixe um comentário

Copyright © 2015 Todos os direitos reservados - Editor Criação